top of page

Green Thinking em resposta à crise climática no RS

Atualizado: 3 de jun.



Durante a maior catástrofe climática já enfrentada pelo povo gaúcho, em maio de 2024, o Green Thinking respondeu de maneira ágil e efetiva nas diferentes frentes contra as inundações em Porto Alegre e na região metropolitana, tentando mitigar os impactos negativos na sociedade e no meio ambiente. 


Quando as chuvas começaram, a nossa equipe monitorou o movimento das águas e as cotas de inundação em pontos de Porto Alegre, entendendo os desdobramentos e as orientações da Defesa Civil sobre os riscos. Também iniciou um movimento de articulação entre diferentes organizações, na figura de pessoas que queriam ajudar de alguma forma os mais flagelados. 


Cada pessoa tentava ajudar da maneira que conseguia, seja nas operações de resgates, seja nas operações de abrigos, seja na organização de doações, seja no cuidado das pessoas, seja no transporte, enfim, de diferentes formas, com o que era possível. 



Porto Alegre ficou inundada.


Era preciso solução ágil e efetiva em resposta.


No TECNOPUC foram formados diferentes comitês, com grupos de voluntários de diferentes áreas que buscavam soluções para as demandas que iam surgindo a cada minuto. Quando o Guaíba atingiu o seu ápice de 5,35m, o Green Thinking, como um organismo vivo de soluções em sustentabilidade, tornou-se um organismo vivo de soluções em educação climática e regeneração, e voltou toda a sua estrutura para reduzir os impactos das enchentes no RS, especialmente em Porto Alegre. 


O nosso time foi dividido em diferentes grupos, com equipes formadas para atender as demandas de cada operação com uma olhar sistêmico, que foram as seguintes:


Operações Resgates: resgate e salvamento de vidas durante as enchentes no RS. Durante 04 dias participamos ativamente (o Lucas integrava uma equipe de resgate na linha de frente) das operações de resgates, entre os dias 08/05 e 11/05 de 2024. As regiões atendidas foram os bairros Menino Deus, São Geraldo, Farrapos, Navegantes, Humaitá (especialmente as vilas Farrapos, Carandiru e Bela Vista). Foram trazidas para a terra 17 pessoas (2 crianças, 1 grávida), 16 cães, 15 gatos, 5 pássaros, 1 galinha, 1 canoa e 14 caixas de remédios. Nas operações também foram resgatados em torno de 100 kg de resíduos sólidos, que foram trazidos para a parte seca destinados corretamente.


Operações em Abrigos: atendimento às necessidades mais urgentes para abrigos civis e públicos, com voluntários, tais como: água, gás, lanches e refeições, cestas básicas, entre outras doações. 


Abrigos monitorados:

  • Abrigo civil Paróquia Divino Espírito Santo - zona norte - padrinho Pablo e Gabi - coordenadora Magda - 150 pessoas e 20 animais do Humaitá;

  • Abrigo estadual CETE - Menino Deus - madrinha - coordenadora Laura - 300 pessoas - 50 animais - Ilhas, Canoas, Humaitá, Sarandi;

  • Abrigo municipal PUCRS - Partenon - madrinha - coordenador Francisco (Seu Chico) - 300 pessoas - *formação de 16 marceneiros (Mobiliza Marcenaria + Mission Makers, construção de 300 rodos industriais;

  • Abrigo civil temporário CEA Bom Jesus - Partenon - coordenadora Ana Paula Medeiros - 30 famílias que trabalham com materiais recicláveis - centro de doações para as UT´s atingidas. 

*Todos os 4 citados seguem recebendo doações.


Operações de Doações: mobilização da rede para o desenvolvimento de aplicações digitais, principalmente o SOSRS, na figura da Paula, mas também iniciativas como AbrigosRS (que também contribuem para as Operações em Abrigos), Bonanza, Olhar para a Infância, entre outras ferramentas que surgiram neste curto período. Apoio no match (conexão) na doação de 600.000L de água, match na doação de 65 toneladas de cestas básicas, entre outros. Parcerias reforçadas entre organizações do parque, como Able, Hopeful, DGM Financeira, Decola, NAVI, Igapó, entre outras instituições de fora, como Cluster Ecoar, Ecofy e Arco Resíduos. Atuação como voluntários no CD Clube Farrapos, auxiliando no descarregamento de cargas e organização de doações, além do entendimento do fluxo de processos do Centro.


Monitoramento das Enchentes: estudos e pesquisas entendendo os impactos causados nos diferentes setores da cidade, e o comportamento em meio à catástrofe climática. Acompanhamento do nível das águas do Guaíba, acompanhamento de áreas alagadas, acompanhamento das limpezas na cidade, acompanhamento da quantidade dos resíduos sólidos.


Limpeza Solidária: estudo e pesquisa de metodologia para limpeza nas residências, orientação sobre resíduos sólidos, mobilização de grupos de voluntários para limpezas solidárias e conexão com organismos apoiadores no processo.  


O programa faz parte da Estratégia de Resiliência e Inovação Social Emergência Climática POA/RS do Pacto Alegre e tem ênfase na captação e na capacitação de voluntários, com número de participantes adequados ao tamanho e às especificidades dos locais a serem limpos, permitindo uma cobertura ampla e eficiente




Pacto Clima RS: um instrumento no formato de pacto para organizações com metas ambiciosas essenciais para orientar os esforços na luta contra a crise climática, impulsionando a ação coletiva, a inovação e a transformação necessárias para alcançar um futuro mais seguro e sustentável.


Iniciativa desenvolvida em colaboração das empresas Able, Ecofy e Green Thinking, com parceria do Zero Waste Lab POA, NAVI, Thoughworks e TECNOPUC.




A jornada continua.


Seguimos atuando para responder rapidamente aos danos dos eventos climáticos extremos, mitigando o impacto negativo e contribuindo com a regeneração do nosso estado e do Planeta. 


Em todas as iniciativas, o Green Thinking utiliza diferentes tecnologias, sejam elas físicas, digitais ou sociais. Dentre as tecnologias sociais, destacamos a escuta ativa, o olhar sistêmico, a humanização das relações, o abraço, a compostagem e a adequada gestão dos resíduos sólidos urbanos, entre outras. Sobre as tecnologias digitais, participamos na criação de plataformas e aplicações digitais que estão contribuindo com a solução de demandas relacionadas às enchentes, além da profunda imersão em diferentes tecnologias utilizadas nesses momentos de catástrofe. 


Também nos conectamos com diversas iniciativas que estão contribuindo ativamente para a redução dos danos causados pelas enchentes. 


Abrimos uma campanha de doação que tem apoiado diretamente na operacionalização dessas iniciativas de resposta à crise climática do RS. 


Continue nos acompanhando, mandando energias positivas e contribuindo com a campanha. 


Pix para doações: eco@greenthinking.com.br


Chegamos no mês do meio ambiente, junho nos espera com esperança em dias melhores, nutrindo com pensamentos positivos e boas práticas na sociedade.  


Toda ajuda é importante neste momento!



214 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page